Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escola de Atenas

Um Blog informativo

Escola de Atenas

Um Blog informativo

11.Dez.16

Como funcionam as articulações

Dada a rigidez dos ossos, é notável a flexibilidade do nosso corpo. A razão por que nos movimentamos tão facilmente é que os ossos estão ligados entre si por juntas, denominadas articulações, o que permite aos músculos darem ao esqueleto milhares de posições diferentes.

 

Articulações

 

Existem diversas categorias de articulações, como, por exemplo, as articulações em charneira, designadamente as dos cotovelos e joelhos, que permitem o movimento numa única direção, como uma porta nas suas dobradiças; as articulações esféricas — o ombro e a anca —, que permitem a um dos ossos rodar e movimentar-se, mantendo-se firmemente ligado ao outro.

11.Dez.16

A tensão pode aliviar a dor?

Na década de 1850, o explorador escocês David Livingstone descreveu o que sentiu quando um leão o atacou: «Apanhou-me o ombro quando saltou, e ambos caímos ao chão... Rugindo horrivelmente ao meu ouvido, sacudiu-me como um cão sacode um rato. O choque... causou-me uma sensação de sonho em que não havia qualquer noção de dor ou terror.»

 

Tensão

 

Esta reação de Livingstone não foi diferente das observadas, um século depois, nos soldados da II Guerra Mundial. Na frente de desembarque em Anzio, na Itália, os cirurgiões de campanha maravilhavam-se ante a coragem demonstrada pelos feridos graves, entre eles um jovem com o braço despedaçado que conversava calmamente com os médicos e não dava sinais de dor ou desânimo mental. A princípio, os médicos lançaram a teoria de que estes soldados pareciam alheios à dor pela simples razão de que se alegravam de estar vivos. Mas passados muitos anos — e muitas experiências científicas —, os especialistas da dor reconheceram que Livingstone e o jovem soldado de Anzio haviam experimentado aquilo a que agora se chama a analgia induzida pela tensão: o alívio das dores causado por tensões extremas.

 

A explicação para este fenómeno é que, em situações de tensão extrema, o cérebro produz por vezes os seus próprios narcóticos. Estes analgésicos são de dois tipos: as endorfinas e as encefalinas, ambas semelhantes à morfina — mas muito mais poderosas.

loading...