Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escola de Atenas

Um Blog informativo

Escola de Atenas

Um Blog informativo

20.Jun.16

Primeiro dia do verão de 2016

Hoje, 20 de junho, é o primeiro dia do verão de 2016. Começa a estação dominada pelo Sol, pela praia, pelo calor, pelas férias. Os dias são longos, as noites quentes. Os bares ficam cheios de gente que discutem os melhores momentos do dia que passou. A alegria e as oportunidades abundam, os amantes intensificam o seu amor, os sonhos tornam-se realidade. O primeiro dia deste verão assinala o despontar de novos horizontes.

 

Verão

 

Hoje ocorre, portanto, o solstício de verão. Esta ocorrência astronómica corresponde ao momento em que a nossa estrela atinge a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do Equador. Em Portugal, o solstício de verão acontece às 22h34, hora em que o Sol já se encontra no reino das trevas e as estrelas cintilam nos céus.

14.Jun.16

História de Figueira de Castelo Rodrigo

A fundação do povoado remonta ao tempo dos túrdulos que, 500 anos antes de Cristo, terão habitado a região. Mais tarde, romanos e árabes foram outros dos povos invasores. A ocupação romana foi muito intensa a partir do século I d.C. A ponte romana de Escalhão, com um troço da antiga calçada visível, a da Vermiosa e a que existiu em Cinco Vilas são importantes testemunhos da sua presença por estas paragens.

 

Figueira de Castelo Rodrigo

 

Em 1209, D. Afonso IX, rei de Leão, concedeu foral a Castelo Rodrigo. Esta região de Riba-Côa só entraria definitivamente para o domínio de Portugal no reinado de D. Dinis, em 1297, quando a conquistou e viu a sua posse outorgada pelo Tratado de Alcanizes. Em 1508, D. Manuel I renovou o foral.

 

Zona de fronteira, o concelho viu as suas terras invadidas e saqueadas inúmeras vezes. Passou por diversas vicissitudes, como a de o seu alcaide ter recusado a entrada na fortaleza ao Mestre de Avis, quando este se dirigia para Chaves. Como represália, o futuro rei de Portugal ordenou que o escudo real, integrado nas armas da vila, fosse gravado de cabeça para baixo.

 

Em 1640, chegou à vila de Castelo Rodrigo a notícia da revolta de Lisboa, que pôs fim ao domínio espanhol. Nessa altura, o povo, enfurecido, deitou fogo ao palácio de Cristóvão de Moura, português renegado e Marquês de Castelo Rodrigo. Mas, dois anos depois, tropas espanholas invadiram algumas aldeias do concelho, semeando a morte e a destruição. Foi o caso de Escarigo, Almofala, Torre dos Frades, Colmeal e Mata de Lobos. Os espanhóis só seriam derrotados em Escalhão, onde encontraram uma resistência inesperada.

 

Em 1664, no reinado de D. Afonso VI, a região foi novamente invadida. Travou-se a batalha de Castelo Rodrigo, mais conhecida por batalha da Salgadela. Este lugar da freguesia de Mata de Lobos, situado à vista da fortaleza de Castelo Rodrigo, foi palco de uma das mais decisivas lutas da Guerra da Restauração.

 

Na guerra dos Sete Anos, em 1762, a vila foi de novo ocupada por tropas espanholas. As invasões francesas, em 1810 e, alguns anos mais tarde, a guerra entre as tropas de D. Miguel e as de D. Pedro, trouxeram de novo a destruição ao concelho.

 

A partir da década de 70 do século passado, o município começou a travar uma outra batalha: contra a desertificação e os custos da interioridade.

loading...

Pág. 1/20